Leia, compartilhe esta publicação com outras pessoas, imprima total ou parcialmente. Engaje-se.
Tudo o que consta nessa publicação é de livre acesso.

O ENVOLVIMENTO DA COMUNIDADE É ESSENCIAL

Essa publicação aponta um dos muitos caminhos possíveis de exercício da ciência cidadã, tendo como foco o enfrentamento à proliferação do mosquito vetor de doenças graves, como zika, chikungunya, dengue e febre amarela urbana, que vêm tirando a saúde, e muitas vezes a vida, de milhares de pessoas ao redor do mundo. Apresenta a possibilidade de participação no AeTrapp – Monitoramento Cidadão de Focos de Mosquitos Aedes, ferramenta que promove o protagonismo das comunidades no monitoramento da proliferação desses mosquitos.

 

Ao longo do texto, estão detalhadas três dimensões de participação cidadã: a individual, a pública e a social. Os dados obtidos com o monitoramento de focos do mosquito podem subsidiar a implementação de políticas públicas de controle da população de Aedes aegypti em regiões mais vulneráveis e, além disso, fortalecer a atuação da população em espaços de participação social onde a saúde pública é tratada.

 

O monitoramento da proliferação de Aedes aegypti realizado pelas comunidades instrumentaliza-as nas suas argumentações, por oferecer dados concretos sobre a proliferação do vetor de doenças graves no território onde vivem.

 

Mas como envolver as pessoas – profissionais de diferentes áreas do poder público e população em geral – com o monitoramento de Aedes por meio do AeTrapp?

 

Tendo este envolvimento como desafio, estão sugeridas nesta publicação atividades que podem ser realizadas por profissionais que atuam no poder público municipal e outras que podem ser praticadas por educadores(as), em especial, de ensino médio. A intensão é, ao compartilhá-las, inspirar muitas outras práticas que tornem realidade um efetivo monitoramento da proliferação de mosquitos pela população, especialmente a mais vulnerável.

 

Leia, compartilhe esta publicação com outras pessoas, imprima total ou parcialmente. Engaje-se. Tudo o que consta nessa publicação é de livre acesso.

 

Para visualizar e baixar, clique no botão da imagem acima ou aqui.